LIVROS, FLORES E O MENINO DO DEDO VERDE

Vinha eu na segunda-feira,¬† na Avenida √Ālvaro Ramos, sentada confortavelmente no √īnibus,¬† com¬† o pensamento a mil (a vantagem de n√£o dirigir), quando avistei um p√© de caf√© todo cheio de pequenas bolinhas quase maduras.¬†N√£o sei porque, mas na hora me veio o pensamento: “O MENINO DO DEDO VERDE”. Engra√ßado n√©?! Uma situa√ß√£o nada a ver, em um local nada a ver, com um pensamento nada a ver e me vem uma lembran√ßa que eu nem mesmo sabia se realmente existiu ou n√£o, o tal do menino do dedo verde.
Continuei meu caminho tentando recordar, e… pimba! Acho que realmente existe um livro com esse t√≠tulo e eu, provavelmente, j√° li!

tumblr_nf45vhtfOL1u3eaqvo1_500(Maori Sakai)

Esse eu n√£o me recordo em que ano, s√≥ sei que tamb√©m foi na escola e, por incr√≠vel que pare√ßa, ficou gravado l√° num cantinho escondido do meu c√©rebro. Inconscientemente, acho que ele surtiu efeitos, tanto que at√© hoje amo o verde, por mim, moraria numa ch√°cara, cheia de flores e √°rvores frut√≠feras. √Č um tremendo √™xtase pegar uma sementinha e dali ver brotar uma √°rvore. J√° consegui lichia, jaca, lim√£o, maracuj√°, caqui e outras. Infelizmente, meu quintal √© pequeno e j√° tem gente reclamando que as √°rvores encobriram a vis√£o, apesar desta vis√£o n√£o ser t√£o linda – e de gostarem de desfrutar de um suquinho de maracuj√° sem agrot√≥xico.

Mas voltando ao livro, fui pesquisar e acho que vale falar dele aqui. Assim que puder, vou comprá-lo para reler e voltar às antigas lembranças novamente, assim como foi com O Caso da Borboleta Atíria, já comentado aqui.

65593320cf7aecd81ca38ab497aa50f3(Maori Sakai)

Tistu √© um menino rico e feliz. Ao completar 8 anos, seus pais o mandam para a escola. Por dormir nas aulas, ele √© expulso no terceiro dia de aula. Ent√£o, seus pais resolvem que ele ser√° educado para a vida, atrav√©s das experi√™ncias e observa√ß√Ķes. Quando Tistu vai para a aula de jardinagem com o Sr Bigode, jardineiro da fam√≠lia, eles descobrem que o menino tem um dom especial: com um toque, ele consegue fazer com que surjam plantas e flores onde quiser. Assim, mantendo isso em segredo, vai transformando os locais por onde passa, e ent√£o, quando surge uma guerra, ele faz surgir flores nos canh√Ķes (que eram fabricados na ind√ļstria de seu pai) e seu segredo √© descoberto.
S√≥ sei o seguinte… MORRO de inveja desse tal de MENINO DO DEDO VERDE!

O livro foi escrito por Maurice Druon e lançado pela editora José Olympio em 1957.

 

Cecilia