SÉRIE VAGALUME: O CASO DA BORBOLETA ATÍRIA

Olá! Sou a Cecília e tenho o maior orgulho de ser a mãe da Nati. Como sou uma mãe metida, vou me atrever a cooperar com algumas matérias (estou me sentindo!), e espero que consiga manter a atenção de vocês pelo menos nas duas primeiras frases.

Quem me conhece, sabe que sou uma apaixonada por livros. Tanto que, em uma época, fazia parte do clube do livro. Sempre recebia revistas com os títulos disponíveis e comprava 1 ou 2 livros, geralmente Ágatha Cristhie, dos quais pretendo falar em outra ocasião.
Por esse motivo, resolvi que dentre tantas outras paixões, vou iniciar falando de livros. Isso porque [desabafo] juro que fico com vergonha ao ver tantos jovens escrevendo errado. Talvez o motivo principal seja mesmo o desleixo ou falta de interesse, mas não consigo acreditar que uma pessoa que acessa diariamente as redes sociais não observa certas palavras que fazem parte do nosso cotidiano, e continuam seus erros crassos [/desabafo].

O gosto pela leitura me vem com o título de “O Caso da Borboleta Atíria“. Este livro faz parte da série vagalume.
Pra quem não conhece, a série vagalume é uma coleção de livros voltados ao público infantojuvenil, lançada pela Editora Ática em 1972, e era leitura quase que obrigatória quando começávamos o ginásio (percebem que sou um pouco antiga?).

o caso da borboleta atiria

(via)

Escrito por Lúcia Machado de Almeida e publicado em 1975, O Caso da Borboleta Atíria é um livro com a inocência da infância. Trata de uma borboleta que foi adotada por uma Jitiranaboia, que descobriu que Atíria tinha um pequeno defeito em uma das asas e, por esse motivo, não poderia alçar longos voos pelo bosque. Mas, como todo jovem, a curiosidade a leva a se aventurar e, com isso, Atíria entra em vários perrengues, o que deixa o leitor com o coração na mão, na torcida para que tudo termine logo e bem.

Entre tantos problemas, a jovem borboleta é jogada para ser devorada por um inseto assustador e, ao cair no cubículo onde estava, a…
Pensou que eu ia entregar tudo? Claro que não! Se for assim, você pode não pesquisar e não ler este livro, que é simples e de fácil leitura, uma boa indicação para incentivar os jovens a pegar gosto pela leitura.

 


Acompanhe o blog nas redes sociais
Facebook | Instagram | Pinterest | Blogloving | Snapchat: natalialemoos

Comentários

7 Comments

  1. Fernanda 05/11/15

    Gente, que mãe maravilhosa que fez esse post, eu AMEI! <3
    O primeiro livro q li na minha vida foi da série vaga lume, e foi ' a ilha perdida', Lembro q me emocionei muito com a história e me marcou pra sempre! Sou antiga tb, ué! HAHAHA
    Super beijo e aguardo novos posts!

    http://www.vintagemoderno.com.br

    Responder
  2. Marina 22/10/15

    Olá =)
    Eu sou apaixonada pela série Vagalume. O caso da Borboleta Atiria foi um dos livros que li na minha infância.
    Adorei a sua dica de livro por aqui Cecília, volte mais vezes.

    Beijos de Luz,
    Marinah | Meu Doce Apartamento – Literatura, Culinária, Caseirices e muito amor! ♥

    Responder
  3. Rute 19/10/15

    Amo ler e a coleçao vagalume deveria continuar sendo leitura obrigatoria nas escolas.

    Responder
  4. Sara 19/10/15

    Nat, amei o seu blog. Ta tudo muito fofo!.
    Tia, continue escrevendo… To doida pra ver os próximos textos.

    Bjos

    Responder
    • Natalia Lemos 19/11/15

      Obrigada, Sarota!
      O próximo já está pronto, logo logo será postado.

      Responder
  5. Dani 19/10/15

    Oi, Nath, tudo bem? Aqui é a Dani, namorada do Michel 🙂 passando pra dizer que adorei o blog e amava a coleção Vagalume tbm. Deu vontade de pegar pra ler de novo! Muito bom o post :)))

    Responder
    • Natalia Lemos 19/10/15

      Oi, Dani.
      Que honra receber a sua visita! Seja muito bem vinda ao meu cantinho, e obrigada pelo carinho.

      Beijos

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.